Ucrânia assinou um acordo preliminar para encomendar helicópteros 55 na Airbus Helicopters

- Publicidade -

A Ucrânia assinou um acordo preliminar com a Airbus Helicopters para encomendar 55 asas rotativas, H125, H145 e H225 Super Puma, destinado a forças policiais, guardas de fronteira e serviços de emergência. A distribuição exata das unidades ainda não é conhecida, mas esse pedido será bem-vindo em Marignane, enquanto o histórico site da Aerospatiale continua sofrendo as consequências da queda de pedidos no setor offshore. O primeiro-ministro ucraniano, Volodymyr Groysman, enfatizou que a França é um parceiro estratégico confiável para a Ucrânia, que apoia a soberania ucraniana.

Alguém poderia perguntar por que os industriais ocidentais não estão interessados ​​na indústria aeronáutica e de defesa ucraniana? Este país de 46 milhões de habitantes possui, de facto, um know-how altamente valioso, quer em termos de equipamento terrestre, aéreo ou naval, bem como no domínio dos mísseis. A mão-de-obra é qualificada e económica e as infra-estruturas de produção são numerosas. 

Face ao aumento dos preços unitários dos equipamentos de alta tecnologia ocidentais, não seria sensato contar com esta capacidade de produção para oferecer equipamentos destinados ao mercado secundário, como é o caso dos países africanos, que neste momento apenas consideram as ofertas chinesas?

- Publicidade -

Tal como o que a Renault fez na Roménia quando o grupo lançou a marca Dacia, que hoje representa uma quota muito significativa das vendas, grupos de Defesa como Dassault, Airbus, Thales, MBDA, Safran ou Nexter, poderiam beneficiar largamente de uma estratégia mais ampla integrando produções ucranianas. . Porque, se a França não o fizer, os turcos e os chineses não deixarão de o fazer…

- Publicidade -

Para mais

REDES SOCIAIS

Últimos artigos