Rússia encomenda 132 Armatas para serem entregues até 2021

Foi durante a exposição Exército-2018, que ocorreu perto de Moscou, de 21 a 26 de agosto, que o governo russo anunciou a primeira encomenda de seu novo tanque de combate pesado, o T14 Armata, e do veículo de combate de infantaria pesada T-15 da mesma família. 

É, por conseguinte 132 T-14, 1-15 e T-16(reparador e engenharia de tanques) encomendadas, suficientes para equipar um regimento de tanques e um regimento de infantaria motorizada. Esses primeiros veículos, que deverão ser entregues antes de 2021, terão como objetivo avaliar o desempenho técnico e tático desses novos equipamentos e desenvolver doutrinas de emprego. Deve-se ter em mente que, durante o mesmo período 2018-2021, as forças russas também terão recebido entre 400 e 500 tanques pesados ​​modernizados T-72B3M, T80BVM e T90BM, e outros tantos veículos de combate de infantaria Kurganet25, Boomerang, BTR e BMP, elevando o total das forças operacionais russas para mais de 50 regimentos de tanques modernos. Recordemos, para todos os efeitos práticos, que em 2021, a França só colocará em campo 4 regimentos de tanques, a Alemanha 6 e o ​​Reino Unido 3. 

O facto é que o T-14, tal como o T-15, são muito mais caros de produzir e utilizar do que os seus homólogos da geração anterior. Avançamos assim a proporção de 1 T-14 para 5 T-72B3M. É portanto óbvio, tendo em conta as dificuldades orçamentais que a Rússia enfrenta, que a produção massiva de T-14 não terá lugar durante muito tempo, especialmente porque a oposição ocidental continua a ser mais do que simbólica. Portanto, nos perguntamos se o T-14 (e o T-15) será reservado para unidades de elite a serem implementadas em nível de divisão ou corpo de exército, ou se os regimentos blindados russos receberão um pelotão de T-14, usados ​​como força de ruptura, permitindo a manobra de outros tanques menos eficientes, mas muito mais numerosos. 

Para mais

REDES SOCIAIS

Últimos artigos