Os Estados Unidos iniciam os testes iniciais do programa hipersônico AGM183A Arrow

Quando em março de 2018, no meio da campanha presidencial russa, o presidente e candidato V.Putin anunciou a entrada do míssil hipersônico aerotransportado Kh47MZ Kinzhal, lançado a partir de um MIG31 especialmente modificado, e capaz de atingir alvos a mais de 2000 km, os Estados Unidos, como todos os ocidentais, tomaram consciência do atraso acumulado nesta área em comparação com a Rússia e a China.

O Pentágono, então liderado pelo General Mattis, reagiu prontamente, e com surpreendente lucidez, lançando dois programas destinados a compensar rapidamente este atraso. O primeiro programa foi a Arma de Ataque Convencional Hipersônica, HCSW, com um orçamento de US$ 280 milhões, e confiada à Lockheed-Martin, com a participação de muitos outros fabricantes e da DARPA. O seu objetivo é conceber equipamentos hipersónicos capazes de atingir alvos fixos ou móveis, de transportar uma carga militar “definida pelo governo”, portanto potencialmente nuclear, e baseados em tecnologias já desenvolvidas, mas que ainda não tenham dado origem à integração militar.

O segundo projecto, a Arma de Resposta Rápida Lançada pelo Ar, ou ARRW, tem um orçamento de 480 milhões de dólares e também foi confiado à Lockheed-Martin, bem como a uma selecção de industriais, novamente com o apoio da DARPA. Ao contrário do HCSW, o ARRW, cujo programa já foi denominado AGM183a Arrow, deverá projetar um sistema hipersônico de nova geração, baseado em tecnologias que ainda não foram tornadas confiáveis, e deverá atingir a velocidade do mach20. A sua vocação, que traz o nome do programa, será sobretudo estratégica.

close-up ARRW Defesa Notícias | Armas e mísseis hipersônicos | Bombardeiros Estratégicos
Close do míssil inerte AGM183A sob a asa do B52

A dupla abordagem simultânea do problema, com calendários relativamente próximos (primeiro voo 2021/2022 e entrada em serviço 2025), demonstra uma profunda mudança de paradigma no Pentágono que, sob a influência do General Mattis, modificou profundamente os seus objectivos tecnológicos, por vezes louco, por programas mais curtos, mais realistas e muito melhor controlados. Também permite regressar rapidamente às tecnologias em uso e desenvolvimento na Rússia, com o HCSW equivalente ao Kinzhal, e o ARRW a ter desempenhos ao nível do Tzirkon, e mísseis em desenvolvimento em Moscovo.

De acordo com o cronograma, no dia 12 de junho de 2019, iniciaram-se os testes de integração do míssil AGM183A do programa ARRW na base californiana de Edwards, tendo descolado um B52 com um míssil inerte AGM183A para avaliar o seu comportamento em voo, tendo o ARRW ser, também no ar.

Para mais

REDES SOCIAIS

Últimos artigos