Rússia-Ucrânia: o primeiro conflito da era OSINT

Você conhece o termo OSINT? É um acrônimo em inglês que significa Open Source Intelligence, ou Informação sobre Dados Públicos em francês. Essa metodologia foi popularizada por o grupo Bellingcat criado em julho de 2014 por Eliot Higgins, que se empenhou notavelmente na análise de dados relativos à destruição do voo MH17 da Malaysian Airlines abatido em 17 de julho do mesmo ano, demonstrando o envolvimento dos sistemas russos BUK na destruição do dispositivo. Mais tarde, este mesmo grupo Bellingcat demonstrou o envolvimento de agentes do GRU, os serviços de inteligência militar russos, no envenenamento do ex-agente russo Sergei Skripal e da sua filha Elena em 2018. Desde então, esta metodologia baseou-se na análise escrupulosa de todos os fontes em torno de um determinado evento para estabelecer o contexto, a cronologia e os participantes (portanto as responsabilidades), inspirou muitos outros analistas que estão muito presentes na Internet, em particular na rede social Twitter.

A crise russo-ucraniana foi, como tal, analisada metodicamente por esses especialistas que desempenharam um papel decisivo no curso da guerra hoje. Assim, para além das declarações por vezes postas em causa pela opinião pública ocidental e especialmente europeia emanadas dos serviços de inteligência americanos e britânicos a respeito da construção da força militar russa em torno da Ucrânia nos últimos meses, a comunidade OSINT demonstrou com força detalhes a realidade da a coisa, com base na análise de inúmeros vídeos publicados pelos próprios russos nas redes sociais, mostrando movimentos de tropas significativos, mas também em fotos e imagens de radar tiradas por satélites civis, possibilitando assim credenciar com relevância a realidade dessa implantação de forças.

Parede de imagem de Belligcat analisa defesa | Conflito russo-ucraniano | Feito
O grupo Bellingcat destacou a responsabilidade dos agentes do GRU no envenenamento de Sergei Srkipal e sua filha em Novichok. copyright belincat

Além disso, essas informações captadas, analisadas e disponibilizadas por essa comunidade OSINT permitiram que outros especialistas, com perfil mais operacional e militar, analisassem detalhadamente a realidade da ameaça de intervenção russa, enquanto para muitos a hipótese de uma ofensiva russa sobre a Ucrânia permaneceu especulativo. Uma vez iniciado o conflito, essa mesma associação entre especialistas da OSINT e analistas operacionais permite agora acompanhar com alguma precisão o curso da guerra, a resistência ucraniana, bem como evitar cair nas armadilhas da propaganda de combate também emanada de ambos do campo russo e ucraniano. No entanto, para além destes aspectos já determinantes, a OSINT comunista tem desempenhado um papel ainda mais estratégico neste conflito, ao aniquilar toda a narrativa e as tentativas de instrumentalização e manipulação dos serviços russos para justificar esta guerra.


Restam 75% deste artigo para ler. Inscreva-se para acessá-lo!

Metadefense Logo 93x93 2 Análise de Defesa | Conflito Russo-Ucraniano | Fato consumado

Os Assinaturas clássicas fornecer acesso a
artigos em sua versão completae sem publicidade,
a partir de 1,99 €.


Para mais

1 COMENTÁRIO

Os comentários estão fechados.

REDES SOCIAIS

Últimos artigos