O que nos ensina a nova organização táctica das unidades russas empenhadas na Ucrânia?

Uma nova organização tática de unidades russas engajadas contra as forças ucranianas está sendo implantada, de acordo com documentos apreendidos pelos militares ucranianos nas últimas semanas. Isso seria baseado em BTGs híbridos, mais simples que os BTGs tradicionais, mas mais eficientes que as unidades orgânicas utilizadas até agora.

Desde o início da agressão contra a Ucrânia, os exércitos russos já haviam mudado três vezes a estratégia para a condução geral das operações. Em primeiro lugar, durante os primeiros dez dias da operação, empregaram uma estratégia de decapitação das autoridades políticas e do governo ucraniano, nomeadamente através da realização de uma grande operação aérea no aeródromo de Hostomel, a norte de Kiev.

As três fases da ofensiva russa na Ucrânia

Após o fracasso desta manobra, Moscovo iniciou uma estratégia que visava o colapso das forças ucranianas, realizando ofensivas simultâneas e intensivas em todas as frentes, no norte em Kiev e Kharkov, no leste em Donbass, e no sul da Crimeia.

Esta dupla manobra visava tomar Mariupol para se ligar às forças de Donbass, e assim tomar Odessa para privar Kiev do acesso ao Mar e potencialmente fazer a ligação com a Transnístria da Moldávia.

A partir do final de Março, confrontados com as pesadas perdas sofridas na aplicação destas duas primeiras estratégias, os exércitos russos começaram a orientar-se para uma abordagem mais convencional que visa o desgaste das forças ucranianas, criando linhas de defesa bem preparadas e acompanhando as ofensivas ucranianas para fazê-los colidir contra estas linhas e, assim, fazê-los também registar pesadas perdas.

Esta terceira estratégia foi de longe a mais eficaz, mesmo que a combatividade ucraniana e a ajuda ocidental tenham permitido que as forças de Kiev continuassem a infligir pesadas perdas aos exércitos russos entrincheirados. Forçou Moscovo a transformar, sem o reconhecer, o que seria uma operação militar especial que duraria algumas semanas, numa guerra de desgaste que mobilizou todo o país, através de uma mobilização de homens. como indústrias e economia.

O que quer que se diga, as retiradas russas nas linhas defensivas do Donbass, do Oblato de Zaporozhye, bem como a retirada de Kherson ao sul do Dnieper, alcançaram os seus objectivos, permitindo às forças russas reagruparem-se numa linha de defesa bem preparada. , ao mesmo tempo que desgastava parte das forças ucranianas.

A utilização, provavelmente às suas custas, dos mercenários de Wagner para concentrar a atenção de Kiev em Bakhmut, ajudou a reforçar esta situação, ao fixar numerosas unidades ucranianas, ao mesmo tempo que permitiu às unidades russas reconstituírem-se e equiparem-se.

A organização tática das unidades russas na Ucrânia está caminhando para BTGs híbridos.
Os BTGs deveriam representar a organização padrão das unidades russas no início do conflito. De fato, muito poucos BTGs foram realmente formados, sendo a maioria das unidades empregadas em sua forma orgânica.

Uma quarta fase estratégica teria sido iniciada pelos exércitos russos recentemente. Pelo menos é o que podemos deduzir de a descoberta pela inteligência ucraniana de um manual tático detalhando uma nova organização de unidades de contato.

Um novo BTG híbrido

Estas novas unidades estão longe de Batalhão de Grupo Tático, ou BTG, estas unidades de armas combinadas russas tão temidas no início do conflito pelos analistas, embora quase nunca tenham sido implementadas. Também prometem ser muito mais eficazes do que o empenho das unidades orgânicas observado desde o início do conflito,

Esta abordagem híbrida confere às unidades russas capacidades de armas combinadas eficazes, mas limitadas, provavelmente respondendo à falta de experiência e disciplina observada, ao mesmo tempo que lhes confere uma coerência operacional muito mais conseguida.

Acima de tudo, para além das novas capacidades tácticas que esta organização proporciona às unidades, esta reorganização permitirá ao comando russo implementar uma nova estratégia para lidar com os exércitos ucranianos, que nos poderá informar sobre os objectivos de guerra agora almejados por Moscovo.


Restam 75% deste artigo para ler. Inscreva-se para acessá-lo!

Metadefense Logo 93x93 2 Planejamento e planos militares | Análise de Defesa | Tanques de batalha MBT

Os Assinaturas clássicas fornecer acesso a
artigos em sua versão completae sem publicidade,
a partir de 1,99 €.


Para mais

1 COMENTÁRIO

Os comentários estão fechados.

REDES SOCIAIS

Últimos artigos