O Brasil negociaria a aquisição de 40 Saab JAS-39 Gripen E/F adicionais

Com apenas 42 caças supersônicos F-5EM em serviço, apoiados por 80 aeronaves de ataque e contra-insurgência AMX e EMB-314, o Brasil é um dos países com a força aérea de combate mais fraca em relação ao seu poder econômico. Em 2014, o Brasília encomendou 32 caças monomotores JAS-39 Gripen E e 8 bipostos Gripen F para transformação operacional por US$ 5,5 bilhões, para substituir os Tigers adquiridos em 1974, com um importante acordo tecnológico que permite a montagem local de pelo menos menos 15 dispositivos. No entanto, as mudanças exigidas por Brasília rapidamente aumentaram a nota em US$ 1 bilhão, enquanto, ao mesmo tempo, Estocolmo se comprometeu com um pacote de compensações industriais e econômicas de US$ 9 bilhões. O primeiro Gripen foi entregue à Força Aérea Brasileira em 2019, e todas as aeronaves devem ser produzidas até 2027.

No entanto, essa encomenda sempre representou, na cabeça da Força Aérea Brasileira, um primeiro lote de aeronaves, quando já estimavam em 2015 que precisavam de 108 aeronaves de combate para cobrir todo o território. . É neste contexto que, de acordo com a agência Reuters, Brasília e Estocolmo teriam iniciado novas negociações com vistas à encomenda de 40 novos caças Gripen E/F, de modo a armar uma segunda base aérea, com previsão de entrega antes de 2040. É verdade que com 8,5 milhões de km2, o Brasil deve ter pelo menos uma força aérea espalhada por várias bases aéreas, nem que seja para realizar missões de policiamento aéreo acima de seu território. No entanto, essa indiscrição ocorre em um momento em que várias Forças Aéreas sul-americanas têm feito negociações ou consultas com vistas a modernizar ou mesmo ampliar suas próprias Forças Aéreas, e em um contexto internacional cada vez mais tenso.

F 5M FAB 750x500 1 Análise Defesa | Jatos de combate | Brasil
A frota de caças brasileira é hoje baseada em cerca de quarenta F-5, certamente modernizados, mas datados da década de 70.

Basicamente, o Brasil não tem adversário declarado até o momento, muito por conta de sua política internacional particularmente inclusiva, inclusive com países marginalizados no cenário internacional como Irã, Coreia do Norte ou Venezuela. Além disso, o país tem boas relações com todos os seus vizinhos e não tem disputas territoriais passadas ou presentes. Entretanto, Brasília empreendeu nos últimos anos um grande esforço de modernização e ampliação de suas Forças Armadas, com a aquisição de 4 submarinos Scorpene e o desenvolvimento de um submarino de ataque nuclear nacional com o apoio do Grupo Naval Francês, fragatas de 4 classes Vou tamandar desenvolvido com o TKMS alemão, ou a aquisição de 98 tanques leves italianos Centauro II ou mais de 2600 veículos blindados Guarani. Além disso, está a fazer esforços significativos para adquirir capacidades avançadas, como no setor espacial com a encomenda prevista de vários satélites de comunicação, reconhecimento ou observação, na superioridade aérea com a encomenda de 22 aeronaves polivalentes (transporte/reabastecedores) KC-390 e 2 NÃO MRTT, bem como 5 Awacs Embraer R-99 e 6 aeronaves SIGINT, ou mesmo a ambição declarada de adquirir, até 2040, um porta-aviões e uma classe de contratorpedeiros antiaéreos.


Restam 75% deste artigo para ler. Inscreva-se para acessá-lo!

Metadefense Logo 93x93 2 Análise de Defesa | Aviões de combate | Brasil

Os Assinaturas clássicas fornecer acesso a
artigos em sua versão completae sem publicidade,
a partir de 1,99 €.


Para mais

5 Comentários

  1. Não entendo muito bem o princípio de um “pacote de compensação econômica e industrial de 9 bilhões de euros” para um contrato principal de 5,5 + 1 bilhão de euros. Primeiro, por que precisamos de compensação? Qual seria a natureza deles? E por que uma indenização de valor próximo ao dobro do contrato principal?

    • Isso é chamado de deslocamento. Na negociação, uma das condições é que o cliente invista certa quantia em determinadas atividades econômicas do país. Investir não significa pagar. É um aparelho relativamente comum nos últimos anos, e amplamente utilizado por alguns países como Brasil e Índia. O vendedor é livre para recusar. mas essa é a condição.

      • Imagino que haja um pequeno erro de digitação, e que seja o vendedor que se compromete a investir no país cliente? Assim, a Suécia vende 6 mil milhões de euros em aviões, mas com a condição de investir 9 mil na economia do país. É realmente bastante persuasivo. Imagino que a França deva, portanto, ter investido enormes somas na economia indiana...

        • De memória, foram 4 mil milhões de euros num contrato de 8 mil milhões de euros. Mas a diferença era que tudo Rafale Os índios foram produzidos na França. Estas são as empresas da equipe Rafale quem investiu. A Dassault, por exemplo, desenvolveu a produção de alguns elementos do Falcon no país. A Safran, por sua vez, apoiou o indeterminado no desenvolvimento do turbojato Kivari.

REDES SOCIAIS

Últimos artigos