O Senado dos EUA antecipa uma possível saída da OTAN após as próximas eleições presidenciais

Confrontado com as probabilidades de ver Donald Trump ou Ron De Santis vencer a eleição presidencial de 2024, o Senado dos EUA estruturou estritamente uma possível decisão presidencial de deixar a OTAN.

O mínimo que podemos dizer é que as eleições presidenciais de 2024 nos Estados Unidos prometem ser acirradas, seja qual for o cenário estudado. De fato, a maioria das pesquisas dos últimos meses sobre o assunto mostra pontuações muito próximas entre os partidos democrata e republicano, seja uma oposição entre Joe Biden e Donald Trump, seja este último substituído pelo governador da Flórida, Ron de Santis. .

No entanto, se os placares são apertados, as consequências no cenário internacional, dependendo se o candidato republicano ou democrata sai vitorioso, são radicalmente diferentes, para não dizer opostos.

Com efeito, quer se trate de Donald Trump, quer de Ron de Santis, os dirigentes republicanos caracterizam-se por uma forte vontade de regresso a uma espécie de isolacionismo americano como ocorria antes da Segunda Guerra Mundial, chegando mesmo a uma possível saída da NATO, hipótese várias vezes avançada por Donald Trump.

É justamente para regulamentar tais excessos que o senador democrata pela Virgínia Tim Kaine e seu homólogo republicano pela Flórida, senador Marco Rubio, aprovaram, no âmbito da Lei de Finanças do Pentágono 2024, uma emenda exigindo que o (futuro) governo dos EUA obtenha uma maioria de dois terços por votação no Senado para permitir a retirada dos EUA da OTAN.

o Senado dos EUA teme ter que regular novamente os excessos de Donald Trump se ele vencer as eleições presidenciais de 2024
A hipótese de ver novamente Donald Trump, como seu golfinho Ron de Santis, na mesa do Senado americano de 2025, como aqui em 2018, preocupa muito além das fileiras dos democratas americanos

Curiosamente, 18 senadores republicanos votaram a favor da emenda proposta ao lado de 47 senadores democratas presentes, enquanto 28 republicanos votaram contra. Esse equilíbrio de poder dentro do Partido Republicano mostra que, mesmo dentro do Grande Velho Partido, a hipótese de uma vitória de Donald Trump ou Ron de Santis no ano que vem preocupa.

Esta não é a primeira vez que tal iniciativa é tomada pelo órgão americano. Já em 2019, ele havia implementado salvaguardas para enquadrar possíveis decisões do presidente Donald Trump sobre uma possível saída da OTAN. Em 2021, embora menos iminente, a ameaça de médio prazo foi considerada suficientemente premente para Senador Marco Rubio, novamente ele, tem votada emenda à lei de finanças de 2022 nesta área.

O facto é que muitos parlamentares e figuras políticas do outro lado do Atlântico temem as potenciais consequências de um regresso de Donald Trump à Casa Branca em 2024, ou do seu adversário, Ron de Santis, este último não sendo menos excessivo nas suas posições sobre a política internacional problemas.


Restam 75% deste artigo para ler. Inscreva-se para acessá-lo!

Metadefense Logo 93x93 2 Alianças Militares | Artilharia | Conflito russo-ucraniano

Os Assinaturas clássicas fornecer acesso a
artigos em sua versão completae sem publicidade,
a partir de 1,99 €.


Para mais

1 COMENTÁRIO

Os comentários estão fechados.

REDES SOCIAIS

Últimos artigos