Lituânia apela à abertura do Fundo Europeu de Defesa às empresas americanas

Para Greta Monika Tučkutė, Vice-Ministra da Defesa da Lituânia, chegou a altura de abrir o fundo europeu de defesa às empresas americanas, de modo a reforçar as capacidades de dissuasão dos exércitos europeus face à ameaça russa.

Isto certamente provocará uma reação, especialmente na França ou na Itália. Em uma entrevista concedida ao Politico, a Vice-Ministra da Defesa da Lituânia, Greta Monika Tučkutė, manifestou-se a favor da abertura do Fundo Europeu de Defesa às empresas americanas, até agora reservado para programas de defesa cooperativos que dependem exclusivamente de empresas europeias.

De acordo com o ministro do Báltico, isto iria, de facto, melhorar e aumentar as ligações transatlânticas entre os exércitos e industriais europeus e americanos e, assim, dissuadir melhor a Rússia.

Para ela, se a concorrência com as indústrias americanas em termos de inovação é necessária para os europeus, esta deve ser substituída pela eficiência no que diz respeito a equipar os próprios exércitos.

A Lituânia dá o exemplo no que diz respeito às preferências europeias

A acusação liderada por Greta Monika Tučkutė, e por extensão pela Lituânia, não é trivial nem desprovida de contexto. Com efeito, Vilnius não pode ser tributada, na Europa, com preferência americana em termos de equipamento, como pode ser o caso, por exemplo, de outros países como a Polónia.

Leopard 2A7HU com Troféu
A Lituânia pretende adquirir cerca de cinquenta Leopard 2A8 para formar um batalhão de tanques

Assim, Lituânia recorreu ao francês CAESAR NG e o alemão PZH 2000 para modernizar sua artilharia. Em termos de blindagem, Vilnius escolheu o Boxer alemão para formar a espinha dorsal da sua infantaria mecanizada, enquanto se fala em o país adquirirCerca de cinquenta Leopard 2A8 perto de Berlim nos próximos meses.

A defesa antiaérea da Lituânia, por sua vez, depende de duas baterias norueguesas NASAMS 3. De facto, nos últimos anos, o único grande contrato de equipamento concedido por Vilnius a empresas americanas diz respeito à aquisição de oito sistemas HIMARS, embora até à data não exista equipamento semelhante na Europa.

Na verdade, é difícil acusar a ministra lituana, ou o seu país, de lobby tendencioso quando apoia esta posição, mesmo que seja muito provável que o lobby americano esteja subjacente a esta questão.

As especificidades do Fundo Europeu de Defesa da União Europeia

No entanto, o ministro lituano está ciente de que vários países, incluindo a França e a Itália, serão particularmente hostis a esta iniciativa. Acima de tudo, ela sabe que o Fundo Europeu de Defesa foi criado pela União Europeia, e não pela NATO, não para reduzir a carga orçamental sobre os Estados para equiparem os seus exércitos, mas para aumentar a cooperação industrial entre os europeus, e assim homogeneizar as frotas de equipamento.

A função do Fundo Europeu de Defesa é melhorar o funcionamento do BITD europeu, apoiando a inovação e o surgimento de programas europeus.
A função do Fundo Europeu de Defesa é melhorar o funcionamento do BITD europeu, apoiando a inovação e o surgimento de programas europeus.

Então, por que este anúncio que certamente será difamado? A resposta mais provável reside na fraqueza dos exércitos europeus, mais particularmente os da Europa Ocidental, e na sua incapacidade de garantir eficazmente a protecção colectiva das fronteiras da NATO.


Restam 75% deste artigo para ler. Inscreva-se para acessá-lo!

Logo Metadefense 93x93 2 Cooperação tecnológica internacional Defesa | Alianças militares | ESTADOS UNIDOS

Os Assinaturas clássicas fornecer acesso a
artigos em sua versão completae sem publicidade,
a partir de 1,99 €.


Para mais

2 Comentários

REDES SOCIAIS

Últimos artigos