Suécia coloca Gripen ucraniano na mesa de negociações para adesão à OTAN

A Suécia acaba de anunciar que está agora a ligar o ficheiro JAS 39 Gripen ucraniano ao dos seus membros da NATO, ainda bloqueado pelo veto da Turquia e da Hungria, numa situação particularmente complexa.

Apenas dois meses após o início da ofensiva russa na Ucrânia, em Abril de 2022, a Finlândia e depois a Suécia declararam a sua candidatura à adesão à NATO ao abrigo do procedimento acelerado. Para estes dois países que permaneceram neutros durante a Guerra Fria, foi uma reviravolta considerável e um primeiro fracasso para a estratégia de Vladimir Putin na Europa.

Embora este anúncio tenha sido muito bem recebido pela grande maioria dos membros da aliança, dois deles, a Hungria e Peru, decidiu opor-se a ela, tanto por razões de política interna e de relações bilaterais com Estocolmo e Helsínquia, como para obter certas concessões dos europeus ou de Washington.

Adesão sueca à NATO adiada pela Turquia e Hungria

Um ano depois, em 4 de abril de 2023, A Finlândia tornou-se o 31º país membro da Aliança Atlântica. A Suécia, por seu lado, continua ameaçada pela não ratificação do seu pedido de adesão pelos parlamentos húngaro e turco.

Para Budapeste, trata-se de obter, através desta manobra, o levantamento de certas sanções europeias decretadas na sequência das violações cada vez mais graves de certos compromissos fundamentais por parte do governo húngaro e do seu presidente nacionalista, Viktor Orban.

Magdalena Andersson Sanna Marin
A primeira-ministra sueca, Magdalena Andersson (primeiro plano) e a sua homóloga finlandesa, Sanna Marin, durante a conferência de imprensa conjunta esta manhã para anunciar a decisão dos dois países escandinavos de aderir à OTAN

A situação é ainda mais complexa no que diz respeito à oposição da Turquia. O Presidente Erdogan pretende, de facto, obter, contra a sua aprovação, o levantamento de certas sanções aplicadas pelos europeus, e especialmente pelos Estados Unidos, a certas tecnologias militares. Isso envolve, por exemplo, a compra de cerca de quarenta kits F-16 Block 70 e 80 para adequar parte de sua frota a esse padrão.

Mas as relações entre Ancara e Estocolmo são tensas. As autoridades turcas criticam assim o país escandinavo por ter concedido asilo a um certo número de personalidades curdas pertencentes, segundo elas, ao PKK.

Além disso, Ancara não tolera que a decisão de extraditar estas pessoas, acusadas de terrorismo pelo sistema judicial turco, não dependa do executivo, mas do sistema judicial sueco, que é perfeitamente independente e não partilha as conclusões do seu Parlamento turco. contrapartida em relação a essas pessoas.

O Exército Sueco foi convocado para reforçar a guerra entre gangues da máfia turca

Estocolmo enfrenta, ao mesmo tempo, um aumento muito notável da violência há vários meses, ligado a uma guerra de gangues entre diferentes máfias turcas, que já levou a mais de 40 mortes violentas no país escandinavo desde o início do ano. incluindo vários civis vítimas de erros cometidos por criminosos turcos.

A situação nesta área deteriorou-se de tal forma que as autoridades suecas anunciaram recentemente queeles apelariam ao exército sueco para vir e apoiar a polícia, tanto para garantir as missões de segurança como para apoiar as forças policiais em termos logísticos e de análise, sem contudo intervir na própria missão policial.

CV90 VCI
A Suécia transferiu cerca de cinquenta veículos de combate de infantaria CV90 para a Ucrânia.

Restam 75% deste artigo para ler. Inscreva-se para acessá-lo!

Metadefense Logo 93x93 2 Negociações internacionais | Alianças militares | Avião de combate

Os Assinaturas clássicas fornecer acesso a
artigos em sua versão completae sem publicidade,
a partir de 1,99 €.


Para mais

1 COMENTÁRIO

Os comentários estão fechados.

REDES SOCIAIS

Últimos artigos