4,6 mil milhões de euros para as próximas versões do Rafale e o Neuron será investido pela França até 2030.

Para Eric Trappier, a prioridade da Dassault hoje está no programa Rafale e seus desenvolvimentos futuros, e não ao programa europeu FCAS, cujo prazo de entrada em serviço é agora fixado em 2045. Pelo menos foi assim que ele apresentou o assunto por ocasião daentrevista concedida ao canal de notícias econômicas BFM Business último agosto.

Poderíamos ter pensado, então, que esta declaração fazia parte do impasse que permanecia entre a Dassault e o Ministério das Forças Armadas, tendo como pano de fundo a partilha industrial e as suas necessárias concessões no âmbito do programa europeu, bem como a chegada de Bélgica.

Ao longo das semanas, porém, parecia que as posições dos dois protagonistas franceses estavam muito mais alinhadas do que parecia, com uma ambição óbvia, para o Ministério das Forças Armadas, de apoiar os desenvolvimentos futuros do Rafale.

Le Rafale F4.2 adiado para 2025

Com efeito, para o Ministério das Forças Armadas, o Rafale F4 e especialmente a versão F5, prevista para 2030, deverá permitir modernizar e expandir as capacidades das forças aéreas francesas, bem como apoiar a atratividade e a competitividade das aeronaves francesas num cenário internacional de elevada procura.

Rafale F4.1 Monte de Marsan
O primeiro Rafale F4.1 foi entregue para testes à Força Aérea em fevereiro de 2023

Obviamente, o Hôtel de Brienne (sede política do Ministério das Forças Armadas) decidiu fazer o que fala, ou melhor, a carteira. Na verdade, de acordo com um artigo publicado pela Site econômico do La Tribune, planeia investir nada menos que 4,6 mil milhões de euros até 2030 para atualizar o caça francês e desenvolver um drone de combate baseado no demonstrador Neuron.

Para o ministério são Dassault Aviation, Safran, Thales, MBDA e as cerca de 400 empresas subcontratantes do programa Rafale, para completar o desenvolvimento da norma F4.2 que deve, entre outras coisas, até os seus meios de suprimir as defesas opostas, incluir a sua defesa antiaérea, muito melhorada para responder às lições da guerra na Ucrânia.

Inicialmente prevista para 2024, a qualificação final do Rafale O F4.2 foi adiado para 2025, enquanto os primeiros F4.1 já começaram a ser utilizados pela Força Aérea e Espacial Francesa.

Deve-se notar, entretanto, que os aviões Rafale que serão entregues em 2023 e 2024, ou seja, 26 dispositivos para AAE, serão entregues no padrão F3R. Posteriormente, evoluirão para o novo padrão, como toda a frota.

Investimentos para Rafale F5 começa em 2024.

Mas o verdadeiro salto em frente, que pode até ser descrito como um reboot para os anglicistas, e um renascimento para os francófilos, será a versão F5, que promete dotar, para 2030, o aparelho de certas capacidades que mais esperamos dos dias 5 e 6. aeronaves de combate de geração.

MBDA expansível por operadora remota
Certos programas, como o Remote Carrier Expendable da MBDA, inicialmente planejado como parte do programa europeu, provavelmente foram transferidos para o programa Rafale F5 cujas ambições foram revistas em alta durante o LPM 2024-2030.

Além de um novo radar RBE2 XG atualmente em desenvolvimento, o Rafale O F5 estará equipado com a possibilidade de controlar e implementar drones de combate, como o Remote Carrier Expendable da MBDA, e especialmente o programa French Loyal Wingman anunciado durante o LPM 2024-2030, baseado no demonstrador Neuron.

O projeto do sucessor do Neuron com 128 m em 2024

Assim equipado e acompanhado, o Rafale O F5 poderá operar em um ambiente contestado como o F-35 americano, beneficiando-se ao mesmo tempo de certas vantagens específicas em termos de resistência, desempenho e custos de implementação.

Como tal, ao desenho do sucessor do Neuron será atribuído, a partir de 2024, um orçamento de 128 milhões de euros, ao qual serão adicionados 212 milhões de euros dedicados a trabalhos de investigação e desenvolvimento na norma F5, num total de 340 milhões de euros. milhões de milhões de euros dedicados ao F5 apenas para o ano de 2024.

Neurônio Dassault
O desenvolvimento de um drone de combate derivado do demonstrador Neuron receberá 128 milhões de euros em 2024.

Restam 75% deste artigo para ler. Inscreva-se para acessá-lo!

Metadefense Logo 93x93 2 Aviação de Caça | Análise de Defesa | Orçamentos das Forças Armadas e Esforços de Defesa

Os Assinaturas clássicas fornecer acesso a
artigos em sua versão completae sem publicidade,
a partir de 1,99 €.


Para mais

1 COMENTÁRIO

Os comentários estão fechados.

REDES SOCIAIS

Últimos artigos