Quais são as chances de Rafale na Arábia Saudita?

Le Rafale na Arábia Saudita, isso é possível? Um boato, divulgado por jornalistas muito bem informados como Michel Cabirol, do latribune.fr, circulava há vários meses. Segundo isto, Ryad estava ativamente interessado no caça francês, com uma possível encomenda, a longo prazo, de mais de 100 aeronaves.

Para estas fontes, as autoridades sauditas queriam acima de tudo um caça moderno para substituir os cerca de 81 Tornado IDS e 62 F-15C ainda em serviço, que não era nem americano, nem mesmo livre de ITAR para evitar qualquer interferência de Washington, e livre de alemães. , para usar a expressão então utilizada, para não sofrer mais os caprichos do Bundestag.

No entanto, até agora, não havia qualquer indicação de que tivessem sido iniciadas negociações oficiais entre Riade e Paris sobre este assunto. Além disso, a hipótese nunca foi mencionada, mesmo extraoficialmente, pela Dassault Aviation, ao contrário de outras perspectivas, como a Índia (o 26º Rafale M da Marinha Indiana), Sérvia, Colômbia ou Catar.

Na verdade, a informação transmitida pelo mesmo Michel Cabirol neste fim de semana, segundo o qual Riad havia solicitado à Dassault Aviation uma oferta formal para 54 Rafale, constitui obviamente um grande desenvolvimento nesta matéria.

A frustração da Arábia Saudita com Typhoon e F-35A

O pedido saudita é sobretudo uma resposta à acumulação de frustrações causadas pelas dificuldades encontradas nos últimos anos na aquisição de novos aviões de combate aos seus dois parceiros tradicionais, os Estados Unidos e o Reino Unido.

eurofighter typhoon Arabie Saoudite
Forças Aéreas Sauditas implementam 72 Eurofighters Typhoon.

Recordemos, de facto, que as forças aéreas sauditas nunca utilizaram um avião de combate francês e permaneceram leais aos Estados Unidos desde a compra do primeiro F-86 Sabre na década de 50, até à encomenda do muito avançado F-15. -2000SA na década de XNUMX.

Da mesma forma, desde a compra dos britânicos BAe Lightnings na década de 60, Ryad tem sido um cliente fiel da indústria britânica de aviões de combate, tendo sido mesmo o único cliente de exportação do Tornado ADV e IDS, e um dos únicos dois Lightning, e sistematicamente o maior cliente de exportação para seus dispositivos.

Apesar destas relações privilegiadas com Washington e Londres, Riade não conseguiu, nos últimos anos, modernizar as suas forças aéreas e, em particular, substituir os 81 Tornado IDS e os 61 F-15C ainda em serviço, e marcando os anos de peso.

Nenhum F-22 ou F-35A para a Força Aérea Saudita

As forças aéreas sauditas queriam, de facto, adquirir o F-22 assim que o caça americano de superioridade aérea de 5ª Geração entrasse em serviço. No entanto, tal como no caso do Japão, Washington recusou-se a exportar o seu caça mais avançado, a fim de proteger as tecnologias avançadas que transporta.

Na falta de um F-22, Riad recorreu então ao F-35A, que poderia ser exportado para aliados próximos dos Estados Unidos. Também aqui, e à semelhança do que acontece com outros países como os EAU ou a Tailândia, foi recusada a autorização de exportação do caça monomotor apresentado como sucessor do F-16, sob o pretexto de que o caça não poderia ser vendido apenas a Aliados da OTAN e do círculo interno americano, como Japão, Austrália ou Coreia do Sul.

F-35A Relâmpago 2
Washington recusou-se a vender o F-35A como o F-22 para Riade.

Restam 75% deste artigo para ler. Inscreva-se para acessá-lo!

Metadefense Logo 93x93 2 Arábia Saudita | Análise de Defesa | Avião de combate

Os Assinaturas clássicas fornecer acesso a
artigos em sua versão completae sem publicidade,
a partir de 1,99 €.


Para mais

2 Comentários

    • A adesão da Arábia Saudita, com o Irão, aos BRICS em Janeiro de 2024 deve ter arrefecido um pouco as suas relações com os EUA e provavelmente justifica a sua recusa em vender F22 e outros F35 a um país cuja aproximação com a China está registada. Esperando que, se o contrato da Dassault for assinado, os EUA não nos façam pagar por isso porque o futuro PANG não será livre de ITAR!

REDES SOCIAIS

Últimos artigos