A dissuasão francesa precisará de mais submarinos SSBN 3G?

No dia 20 de março, aconteceu a cerimônia do primeiro corte de chapa do primeiro novo submarino SSBN 3G, peça central da dissuasão francesa, na presença do Chefe do Estado-Maior da Marinha, Almirante Vaujour, do Delegado Geral de Armamentos, Emmanuel Chiva, e do CEO do Grupo Naval, Eric Pommellet, no site do Grupo Naval de Cherbourg, que hospeda toda a construção de submarinos franceses.

Esta cerimónia marca o início de um dos mais importantes projectos industriais franceses alguma vez realizados. Na verdade, a concepção e construção de um submarino com mísseis balísticos nucleares é frequentemente considerada um dos assuntos industriais e tecnológicos mais complexos que existem, pelo menos tanto como o de um lançador espacial pesado ou de um porta-aviões nuclear.

Para além deste desafio tecnológico e dos colossais investimentos necessários para dar origem a estes navios e às suas armas estratégicas, este programa traz também o futuro da componente submarina da dissuasão nuclear francesa, aquela mesma que sustenta o seguro de vida do país.

Porém, muitos especialistas no assunto questionam o formato do programa SSBN 3G. Com efeito, se assumir o formato de 4 SSBNs da classe Le Triomphant actualmente em serviço, o que precedeu durante a Guerra Fria era composto por 6 SSBNs da classe Le Redoutable.

Perante o aumento das tensões internacionais, nomeadamente com a Rússia, conseguirá a França contentar-se com uma frota de apenas 4 SSBNs, ou terá de regressar a uma frota de 6 navios, como nas décadas de 70 e 80?

As origens do formato 4 SSBN para dissuasão francesa

Inicialmente, portanto, a primeira frota SSBN francesa era composta por seis navios. Este formato permitiu à Frota Oceânica Estratégica manter permanentemente 2 navios no mar, enquanto um terceiro estava pronto para embarcar em 24 horas e um quarto em 30 dias. O quinto navio estava em treinamento e o sexto em manutenção programada.

SSBN O Triunfante
A Marinha Francesa empregou 6 SSBNs da classe Le Retouble nas décadas de 70, 80 e 90.

Com um navio permanentemente imobilizado, este formato permitiu construir a dissuasão francesa e a segunda postura de ataque, numa frota de cinco navios disponíveis, incluindo dois em patrulha.

O desenho dos SSBNs que substituiriam os Redoutables, a partir do início da década de 90, teve início em 1981. Assim, o formato desta frota prevista manteve-se inalterado, em seis navios. Após o colapso do bloco soviético, este formato foi reduzido para quatro navios.

Tratava-se então de adaptar o formato da dissuasão francesa à doutrina da estrita suficiência francesa e, no processo, de poupar várias dezenas de milhares de milhões de francos. Além disso, o Ministério da Defesa estimou que sendo estes novos navios muito mais discretos do que aqueles que irão substituir, e armados com mísseis muito mais eficientes, a redução de tamanho não prejudicaria a realidade da postura de dissuasão francesa.

A partir do final da década de 90, a postura da Força Estratégica Oceânica ficou assim reduzida a um único SSBN em patrulha, um segundo navio em alerta às 24 horas e um terceiro que poderia ser destacado aos 30 dias. O quarto navio permaneceu em manutenção programada.

A evolução da ameaça submarina russa nos últimos anos

É claro que esta postura foi amplamente satisfatória durante os primeiros 20 anos do milénio. Recorde-se que em 2008 e 2009, a frota russa não conseguiu garantir a permanência da patrulha subaquática estratégica em mais de um terço das vezes.

Submarino Borei-A
A Marinha Russa está empenhada numa intensa modernização da sua frota de submarinos estratégicos e táticos.

Restam 75% deste artigo para ler. Inscreva-se para acessá-lo!

Os Assinaturas clássicas fornecer acesso a
artigos em sua versão completae sem publicidade.

Meta-Defesa comemora seu 5º aniversário!

LOGO meta defesa 114 Política de dissuasão | Análise de Defesa | Armas nucleares

- 20% na sua assinatura Classic ou Premium, com o código Metanniv24Até Somente 21 de maio !

Oferta válida de 10 a 21 de maio para a assinatura online de uma nova assinatura Classic ou Premium, anual ou semanal no site Meta-Defense.


Para mais

2 Comentários

  1. Olá
    Por que não apenas mais um? Isto já seria uma vantagem, embora permanecesse dentro das nossas possibilidades orçamentais, que penso que não nos permitem ter mais duas. Um adicional tornaria mais fácil ter dois ou mesmo três no mar em tempos de crise.

REDES SOCIAIS

Últimos artigos