Colômbia anuncia o fracasso do contrato do Rafale... e a encomenda de armas CAESAR por US$ 101 milhões

Atualização: Bis Repetita. Apenas algumas horas depois de anunciar a ordem de CAESAR da Nexter, as autoridades colombianas voltaram atrás, para confirmar a ordem de 18 sistemas ATMOS da Elbit israelense. Segundo Bogotá, a Nexter se recusou a abrir mão do aumento de 12% em seus preços em relação à cotação inicial, enquanto a Elbit concordou em abrir mão desse aumento. Assim como o Rafale, o CAESAR se destacou nas avaliações feitas pelos exércitos colombianos. Obviamente, o anúncio feito pelo presidente colombiano há duas semanas sobre um próximo pedido de 16 aeronaves Rafale por…

Leia o artigo

O pedido do Rafale colombiano pode ocorrer antes do final de 2022

Há menos de uma semana, listamos em um artigo os possíveis contratos futuros do Rafale para o ano de 2023. Dos 6 países mencionados, a Colômbia era então o que tinha os prazos prováveis ​​​​mais curtos, enquanto as companhias aéreas do país haviam anunciado que a aeronave francesa melhor atendeu às suas necessidades frente ao americano F-16V e ao sueco JAS-39 Gripen E/F, e que as autoridades colombianas anunciariam a seleção do vencedor desta competição durante o mês de janeiro de 2023. Desde então, as coisas parecem ter decolado em Bogotá. Apenas algumas horas após a publicação deste artigo,…

Leia o artigo

Os combatentes “leves” estão destinados a desaparecer?

Agora é oficial, o Rafale tem a preferência das autoridades colombianas para substituir hoje sua frota de caças armados por caças israelenses Kfir. Embora não se trate, a rigor, de uma encomenda de 16 novos aviões, a Colômbia está agora em negociações exclusivas com a Dassault Aviation e as autoridades francesas para lhe dar substância, depois de ter estimado publicamente que o Rafale era "a melhor opção para o país em termos de preço, eficiência e operabilidade", sendo 30% mais barato de usar do que o Kfir atualmente em serviço. Com esse provável sucesso, o Rafale ultrapassaria o número de aeronaves exportadas para o Mirage 2000 com…

Leia o artigo

Quais são as oportunidades de exportação do Rafale para 2023?

Com 284 aeronaves encomendadas para exportação desde 2015 para 7 países, o avião de combate Rafale, há muito denunciado inclusive no mais alto escalão do Estado, é hoje considerado um grande sucesso para a Dassault Aviation, chegando a flertar com o sucesso de exportação do Mirage 2000 e suas 286 aeronaves exportadas para 8 países. Se as encomendas feitas nos últimos dois anos pelo Egito (30 aeronaves), Grécia (24 aeronaves, incluindo 12 aeronaves usadas compensadas), Croácia (12 aeronaves usadas usadas compensadas), Indonésia (42 aeronaves) e, sobretudo, os Estados Unidos A Emirates com 80 aeronaves para um contrato recorde de 13,5 mil milhões de euros, garantiu a sustentabilidade e a atividade…

Leia o artigo

Argentina abandona planos de adquirir novos caças

No início da Guerra das Malvinas, as forças aéreas e navais argentinas colocaram em campo 240 aeronaves, incluindo mais de cem caças modernos Mirage IIIE, Dagger, Skyhawk e Super Etendard, tornando-a uma das mais poderosas frotas de caças da América do Sul. Enquanto 35 combatentes foram perdidos durante o conflito, o lento declínio da Força Aérea Argentina desde o fim do conflito teve muitas causas, incluindo o fim das ambições militares de Buenos Aires com a derrubada da ditadura do general Leopoldo Galtieri após a derrota do Malvinas, as repetidas crises econômicas que atingiram o país desde então, bem como o severo embargo...

Leia o artigo

Iraque, Sérvia, Colômbia: O Rafale ainda na ofensiva nos mercados de exportação

2021 terá sido, sem dúvida, o ano do Rafale, com 188 aeronaves encomendadas para exportação pela Grécia (18+6 unidades), Croácia (12 aeronaves), Egito (30 aeronaves), Emirados Árabes Unidos (80 aeronaves) e Indonésia (42 aeronaves), além dos 96 Rafale anteriormente encomendados pelo Egito (24 aeronaves), Qatar (24+12 aeronaves) e Índia (36 aeronaves). Ao fazê-lo, o carro-chefe da Dassault Aviation e de toda a indústria aeronáutica francesa, aproxima-se dos índices de exportação de seu antecessor, o Mirage 2000, com 284 aeronaves encomendadas por 7 países, contra 298 aeronaves encomendadas por 8 países para o 2000. o fabricante de aviões francês não pretende parar…

Leia o artigo

Depois da Bélgica, a Colômbia se prepara para encomendar o canhão montado CAESAR da francesa Nexter

Desde que entrou em serviço em 2008, a Canon Equipada com um Sistema de Artilharia Nexter, ou CAESAR, obteve sucesso operacional e comercial significativo. Empregado com sucesso por artilheiros franceses no Afeganistão, Iraque, Líbano e Mali, e por seus usuários internacionais no Camboja (Tailândia) e Iêmen (Arábia Saudita), o sistema francês demonstrou excelentes qualidades operacionais, combinando alta mobilidade em alto alcance (até 40 km com projéteis ERFB, mais de 50 km com propulsores adicionados), bem como alta precisão mesmo com projéteis não guiados. Essas qualidades foram bem aproveitadas pela artilharia francesa…

Leia o artigo

Colômbia se torna "grande aliada" dos Estados Unidos

A guerra na Ucrânia gerou uma certa radicalização ao nível das relações internacionais, na Europa, claro, mas também em todo o planeta. Nesse contexto, a Venezuela do presidente Maduro não deixou de jogar uma carta importante, ao demonstrar apoio infalível a Moscou desde o início do conflito e ao votar sistematicamente contra os textos que visam a Federação Russa nas Nações Unidas. Para Caracas, trata-se de obter as boas graças do Kremlin, cujo apoio militar e em termos de exportação de armas são essenciais para a manutenção do regime. Se a reaproximação com Moscou e Pequim data de…

Leia o artigo

A Argentina está interessada no Kfir israelense e no JF-17 sino-paquistanês para modernizar suas forças aéreas

Antes da Guerra das Malvinas, em 1983, a Força Aérea Argentina colocou em campo quase uma centena de caças modernos Dassault Mirage IIIEA, IAI Dagger (cópia não licenciada do Mirage V) e A-4B/C/P Skyhawk, enquanto as forças aéreas navais tinham cerca de vinte aeronaves A-4Q Skyhawk e 6 Super-Etendards Dassault, tornando-se uma das forças aéreas mais poderosas e melhor equipadas da América do Sul. Se a Guerra das Malvinas teve um forte impacto nesses números, com a perda de 22 Skyhawks, 11 Daggers e 2 Mirage IIIs, foi sobretudo as sanções ocidentais e as consequências de repetidas crises econômicas...

Leia o artigo

Brasil encomendará caças JAS-39E Gripen NG adicionais da Saab

Estes últimos anos têm sido particularmente difíceis para o fabricante sueco Saab e seu novo caça JAS-39 E/F Gripen NG. Após ser excluído da competição na Suíça, o grupo sueco fundou importantes e legítimas esperanças de se impor para a substituição dos F/A-18 finlandeses, e esteve na final da competição canadense. Infelizmente, esses três países se voltaram para o F-35A americano. Ao mesmo tempo, as forças aéreas europeias emergentes dos países do Leste que formaram a clientela inicial do Gripen nos anos 90 e 2000, voltaram-se massivamente para o americano F-16 Block 70 Viper, enquanto até a Tailândia, ela…

Leia o artigo
Meta-Defesa

GRÁTIS
VISTA